HomePage do CHUC

Home  >>  Centro Hospitalar  >>  Projetos Co-Financiados pela UE    >>  SAMA2020 | Operação nº 037736 | +TIC - Modernizar sistemas de informação e tecnologias de informação e comunicação no CHUC em 2015        

SAMA2020 | Operação nº 037736 | +TIC - Modernizar sistemas de informação e tecnologias de informação e comunicação no CHUC em 2015
Pressione para Imprimir esta pgina...

Ficha de Projeto | SAMA2020 Operação nº 037736 | +TIC - Modernizar sistemas de informação e tecnologias de informação e comunicação no CHUC em 2015 
   
Designação do Projeto +TIC - Modernizar sistemas de informação e tecnologias de informação e comunicação no CHUC em 2015 
Código do Projeto POCI-05-5762-FSE-037736 
Objetivo principal Plano de investimentos dirigidos à modernização e capacitação organizacional e tecnológica do CHUC, cujo objetivo é o de conciliar e modernizar os processos de trabalho nas diversas instituições que o integram. Enfoca particularmente nos sistemas e tecnologias de informação e comunicação.
Região de intervenção Centro
Entidade beneficiária CHUC - CENTRO HOSPITALAR E UNIVERSITÁRIO DE COIMBRA, EPE
Data de aprovação  
Data de início sexta-feira, 1 de abril de 2016
Data de conclusão segunda-feira, 31 de dezembro de 2018
Custo total elegível 3.000.000,00 €
Apoio financeiro da União Europeia 2.550.000,00 €
   
Objetivos Resolver um conjunto de problemas identificados no plano estratégico SITIC do CHUC:
  Decorrentes da Fusão
- Duplicação dos Sistemas de Informação Hospitalares (HIS) bem como de eventuais aplicações clínicas a eles associadas, que resultam numa fragmentação do processo clínico e administrativo. No CHUC, HG/HP/HSC/MBB usam o Sonho v1 e SClínico, enquanto HUC e MDM usa apenas GH com escassa associação de dados clínicos e neste caso arquivo dos processos clínicos em papel.
- Duplicação dos sistemas de arquivo de exames radiológicos (PACS) e correspondentes sistemas departamentais de Radiologia (RIS) - em papel e digital, neste caso em várias aplicações.
- Sistemas departamentais diferentes nos vários pólos do CHUC, não permitindo uma visão global centrada no utente. Na produção de informação para a gestão está limitada a recolha bem como o detalhe de cada Serviço
  Estruturais
- Computadores individuais obsoletos - baixa capacidade de processamento de novas aplicações, custos de manutenção, tempo de paragem de uso, consumo energético alto.
- Impossibilidade de substituição do Windows XP nesses equipamentos obsoletos por incompatibilidade tecnológica mandatória face à descontinuidade. Esta situação origina questões de segurança por falta de novos SP (Service Packs) e gera incompatibilidades por impossibilidade de autenticação junto de alguns sistemas.
- Baixo nível de interação digital com os utentes, através do portal CHUC, devido a pouco conteúdos e fraca disseminação
Principais atividades SO1 _ Implementar o SONHO V2
  A implementação do SONHO v2 seguirá o caderno de encargos definido em 2015 pela SPMS, salientando-se estas características:
  a) Prazo de execução de 24 meses, incluindo o plano de formação associado.
  b) Equipamentos: Servidores de virtualização (3), gestão e base de dados (3), Rede LAN e SAN (2), Storage (1), Balanceador (2), Bastidor (1) e cablagem necessária em 4 cores distintas, monitor com teclado e rato (1), Serviços de instalação e configuração. Capacidade de armazenamento (storage) em discos SAS de 16,5 TB e 1,5 TB em discos SSD.
  c) Software operativo: Oracle Enterprise Linux 6.3 ou superior e base de dados Oracle RAC versão 11 Release 2 ou superior. Necessária a apresentação de certificação Oracle pelos implementadores nos seguintes componentes: Oracle Database / RAC; Oracle Middleware; Oracle VM.
  d) Formação: prevê-se que envolva 3.917 profissionais como formandos e seja ministrada por formandos internos, com preparação prévia para a disseminação dos conhecimentos.
  e) Assistência técnica aos equipamentos: será garantido contrato de 3 anos - período de garantia - referente aos bens em causa, incluindo manutenção preventiva e correctiva simples.
  f) Demais especificações na ficha técnica anexa ao caderno de encargos.
  SO2 _ Unificar sistemas de digitalização e gestão de MCDTs (SPAR, RIS, PACS, outros)
  A implementação do SPAR e do RIS/PACS seguirá os dois cadernos de encargos definido em 2015 pelo grupo de trabalho do CHUC, salientando-se:
  a) Prazo de execução (aquisição e implementação) de 22 meses.
  b) Aplicações novas, adquiridas a fornecedores especializados, adaptáveis e parametrizáveis de acordo com os cadernos de encargos, apta a gerir e acolher até 750.000 exames anuais de várias especialidades MCDT.
  c) O SPAR deve fornecer a possibilidade de visualizar os dados e a informação numa ótica de orientação para os processos, agregando-os a partir de diferentes fontes (departamentais, imagiologia, laboratório, etc.) e apresentando-os de forma a salientar, no momento, informação clinicamente relevante. Qualquer profissional clínico pode rever os resultados e atuar, tomando decisões, na mesma interface integrada.
  d) O SPAR permite a comunicação através de pedidos de exames, a partilha de documentação, e de responsabilidades com a distribuição do trabalho pelos membros da equipa, ajudando a eliminar erros devidos à falta de comunicação entre profissionais clínicos, ao mesmo tempo que minimiza a ineficiência e o desperdício. A plataforma permite dar resposta a diversas áreas e desafios departamentais, como por exemplo: ▪ Solução de acesso a listas transversais de utentes; ▪ Solução de requisição/prescrição de exames; ▪ Solução de agendamento centralizada no utente e transversal a toda a Instituição; ▪ Solução de registo clínico (relatórios) e visualização de resultados; ▪ Solução de parametrização e configuração de workflows departamentais.
  e) Também se prevê um quadro de referência em termos de codificação e terminologias com SNOMED CT® (SNOMED CT).
  f) O RIS/PACS tem de suportar uma operação paper free e filmless. O fornecedor TEM DE descrever a forma como o sistema suporta o workflow do processo de diagnóstico, desde o pedido de exame, à distribuição de imagem e relatórios, sem utilização de documentos em papel. Por exemplo, o pedido de exame, a gestão do fluxo de trabalho de aquisição de imagens ou seja, o controlo, o registo do pedido, a gestão de filas, o histórico de exames, a criação do relatório de diagnóstico e sua distribuição.
  g) O RIS/PACS poderá ser alargado a todas as outras formas não-radiológicas de imagiologia. A conceção do serviço TEM DE permitir tais desenvolvimentos durante a sua vida espectável, que TEM DE ser indicada pelo fornecedor. O fornecedor TEM DE listar quais as formas de imagiologia/tipos de ficheiros adicionais atualmente suportados.
  h) Em resposta aos requisitos gerais de interoperabilidade e de interface, o fornecedor TEM DE descrever a forma como o serviço cumpre ou irá cumprir ao longo do tempo, com os seguintes elementos relevantes:
  ·         IHE, Scheduled workflow (SWF);
  ·         IHE, Patient information reconciliation (PIR);
  ·         IHE, Post-processing workflow (PWF);
  ·         IHE, Reporting workflow (RWF);
  ·         IHE, Charge posting (CHG);
  ·         IHE, Presentation of grouped procedures (PGP);
  ·         IHE, Evidence documents (ED);
  ·         IHE, Simple image and numeric reports (SNR);
  ·         IHE, Portable data for imaging (PDI);
  ·         IHE, Cross-enterprise Document sharing (XDS);
  ·         IHE, Cross-enterprise Document sharing for Image data (XDS-I);
  ·         IHE, Access to radiology information (ARI);
  i) A solução tem de ser capaz de armazenar estudos que não imagens radiológicas, por exemplo relatórios DICOM estruturados, fotografias em PDF, imagens digitalizadas e imagens de vídeo.
  j) O processo de migração - onde serão migrados para o VNA arquivos de exames estimados em 55 TB - deve ser especificado com precisão, para garantir a segurança da operação.
  k) A solução VNA - uma inovação completa no sector que traz versatilidade e fluidez - deve: licenciar uma produção até 750.000 exames/ano; incluir integração de imagem não DICOM (JPEG, TIFF, MPEG, PDF, etc.) com eventual conversão para DICOM; integração de documentos no formato original (DOCX, XLSX, etc.); integração url com o EPR existente; incluir Visor universal – zero foot print; deter Tag Morphing para integração agnóstica com qualquer sistema de arquivo DICOM existente na instituição; possuir gestão inteligente do arquivo de dados; garantir utilização agnóstica de qualquer tipo de infraestrutura de arquivo.
  l) A autenticação tem de ser robusta e fiável. O registo para autenticação não deve exceder 3 segundos, a autenticação deve ser escalável para suportar 1.000 utilizadores simultâneos.
  SO3 _ Virtualização de postos de trabalho 
  Pretende-se a modernização de equipamentos, através da aquisição de infra-estrutura para virtualização 1.100 postos de trabalho (VDI) e a disponibilizar em 1.100 thin clients também a adquirir. Pretende ainda substituir-se o Hardware de infra-estrutura existente para virtualização de 500 postos de trabalho. Esta operação tem como objetivos:
  1. Substituir parte dos computadores pessoais obsoletos com enorme impacto nas operações de manutenção da equipa de informática devido ás constantes avarias e troca de componentes.
  2. Adequar a resposta tecnológica dos equipamentos às necessidades de processamento que implicam as novas arquiteturas aplicacionais, sempre mais complexas e exigentes, como será o caso da plena implementação do SONHO V2, SCLINICO e das plataformas SPAR e RISPACS.
  3. Obviar incidentes que podem advir da descontinuidade do Windows XP, para os quais a SPMS já chamou a atenção em despacho, instando à substituição do sistema operativo e dos equipamentos quando não compatíveis com os SO’s mais recentes. Esses incidentes podem traduzir-se desde a perda de informação por vulnerabilidade - devido à falta de atualização da segurança - a ataques cibernéticos, ao aumento de custos de manutenção, pois sem atualização de segurança a tendência para avariar cresce bem como á falta de compatibilidade com outros dispositivos, periféricos e outro software em uso.
  4. Inverter o impacte energético com o parque de computadores pessoais. Efetivamente, estima-se que o ganho na substituição de cada equipamento seja de 21 € por ano (-52%) intrínsecos ao tipo de hardware com menores consumos significando ganhos de 34 mil euros anuais. Esta poupança insere-se nas recomendações aplicáveis ao sector da saúde, nos termos do Despacho 4860/2013 da Secretaria de Estado da Saúde, que determinava reduções anuais de consumo energético de 10% em relação a 2011.
  A solução tecnológica será definida em caderno de encargos, o qual suportará concurso público internacional para escolha do fornecedor. As características estão definidas quase na sua totalidade:
  a) Fornecimento e configuração total em 9 meses.
  b) Implementação de 300 desktops virtuais para o Hospital Geral (ex-CHC).
  c) Implementação de 800 desktops virtuais para o Hospital da Universidade de Coimbra (HUC).
  d) Implementação de 500 desktops virtuais para o Hospital Pediátrico (HP).
   
Resultados esperados / atingidos SO1 _ Implementar o SONHO V2
  1. Utilização efetiva do SONHO e SCLÍNICO em todo o CHUC até 31/12/2017.
  2. Redução de horas de trabalho médicas em registos documentais de consultas no HUC e MDM, de pelo menos 40.000 horas em 2017.
  3. Aumento do número de inscritos na PDS de utentes ativos no CHUC em pelo menos 20% entre 31/12/2015 e 31/12/2017.
  4. Aumento do número de acessos na PDS de profissionais de saúde de outras instituições do SNS aos dados do CHUC em pelo menos 20% entre 31/12/2015 e 31/12/2017
  SO2 _ Unificar sistemas de digitalização e gestão de MCDTs (SPAR, RIS, PACS, outros)
  1. Utilização do sistema SPAR/RISPACS em todo o CHUC até 31/12/2017.
  2. Redução de horas de trabalho médicas e de outros profissionais, em tramitações de exames, de pelo menos 100.000 horas em 2017.
  3. Redução do número total de MCDT’s por maior eficiência do processo de pedido, agendamento e consulta de resultados em cerca de 0,5%
  4. Aumento do número de inscritos na PDS entre utentes ativos no CHUC em pelo menos 20% entre 31/12/2015 e 31/12/2017
  5. Aumento do número de acessos na PDS de profissionais de saúde de outras instituições do SNS aos dados do CHUC em pelo menos 20% entre 31/12/2015 e 31/12/2017
  SO3 _ Virtualização de postos de trabalho 
  Virtualização de 1600 postos de trabalho no HUC, HG e HP até 31/12/2017.
  Redução de horas de paralisação, resolução de problemas e retrabalho com a implementação de 1600 terminais VDI, em 9.900 horas entre profissionais do HUC, HG e HP em 2017.
  Redução do consumo energético na substituição de postos PC por terminais thin clients, em 52%, no ano 2017.
   

Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra
Praceta Prof. Mota Pinto
3000-075 COIMBRA
PORTUGAL
Telefone: [+351] 239 400 400